segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Lado Esquerdo


'A margem esquerda dos rios não apetece tanto, seja porque o sol a procura em horas mais solitárias, seja porque a povoa gente mais tristonha e descendente de homiziados e descontentes do mundo e das suas leis.'

Agustina Bessa Luís, Vale Abraão

As minhas casas são, ambas, na margem esquerda. 
Uma, à esquerda do Odres, em frente ao moinho do menino Toninho das Pias o moleiro que sempre conheci velho. A outra, na margem esquerda do Mondego, terra pisada por Reis. 
Calhou-me.



6 comentários:

  1. Respostas
    1. Do lado que o sol procura em horas mais solitárias. Agustina dixit

      Eliminar
  2. Margem de certa maneira...Gosto do (Alen)tejo.

    ResponderEliminar
  3. Não ligue muito, Teresa, porque não é tão fatal quanto o destino que o "anjo torto" deu a Drummond de Andrade: "..Vai, Carlos! ser gauche na vida."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tem razão, para nascer um metro para morrer o resto do mundo, já dizia o outro. :)

      Eliminar