terça-feira, 6 de setembro de 2016

loop



Sentei-me à cabeceira da mesa da cozinha, de lado para poder encostar-me aos azulejos frescos, as bananas maduras perfumavam o ar.
Dei por mim a ouvir este trabalho do Rodrigo Amarante (Cavalo) em loop. Enquanto isso, um pequeno mosquito rodopiava sobre as letras dos vossos textos, na tela do computador. Perdi-o de vista, ao mosquito, quando me perdi, a mim, num pequeno verso. Já estava numa prosa quando voltei a vê-lo, tinha o dobro do tamanho. Perdi-o outra vez, e mal me tinha refeito do susto quando o zumbido de uma mosca me chegou vindo da fruteira onde repousam as bananas. 
Sabendo que aquela história das moscas viverem apenas 24 horas é um mito, fiquei a pensar qual terá sido a espécie de feitiço que se formou na minha cozinha envolvendo-vos, a vós, ao Rodrigo, às bananas e às moscas...





2 comentários:

  1. Põe feitiço nisso! Como é que um pequeno mosquito leitor se transforma de repente numa mosca que gosta de bananas? :)

    ResponderEliminar