domingo, 11 de setembro de 2016

Queridos vizinhos,

lamento.
Isto de ser uma mulher do caraças (já não posso dizer caralho, descobri que tenho familiares a ler-me) é muito bonito e tal mas, também é muito limitador. O que somado ao facto de ser demasiado ecléctica, no que se refere ao meu gosto musical, se reflecte na banda sonora com que vos tenho preenchido os últimos dias.
Bem sei que depois de um Nick Cave esperavam mais Nick Cave mas, a minha frustração por não assistir ao novo filme do Nick Cave é identica à de não poder assistir ao concerto dos The Cure, ao do Aznavour ou ao da Patti Smith, assim como, à de não ter assistido aos sigur rós ou ainda não ter tido oportunidade de assistir ao do Sérgio Godinho com o Jorge Palma (deus lhes dê saúde até eu ter dinheiro!), não ter ido ao Bons Sons onde esteve a Cristina Branco e...tantos, tantas outras frustrações que vós já conheceis.
Culpai a formação musical que me deram na infância, intercalar Mozart e Bethoven com Manzarek não podia ter outro resultado.
Lamento. Lamento muito e aproveito para vos avisar que só hoje soube que o Peter Murphy vai ser nosso vizinho por uma noite.



7h00, manhã de Março

da vossa,
querida vizinha da cave.

4 comentários:

  1. Last Christmas
    I gave you my heart
    But the very next day you gave it away.
    This year
    To save me from tears
    I'll give it to someone special

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que mau vizinho! eu ao menos não vou nessas piroseiras, na maioria das vezes... por acaso agora que referes isso deixa-me cá partilhar um pouquinho de espírito natalício com os meus vizinhos...

      Eliminar
  2. Com tão boas referências, sou capaz de acreditar que as sonoridades não destoam das photomatons.
    O vernáculo é para ser cantado ou contado.

    ResponderEliminar
  3. as photomatons têm uma óptima banda sonora.

    ResponderEliminar