domingo, 4 de dezembro de 2016

Poder, podia, mas...


A vida podia ter-me colocado numa boa rede de contactos e influências e encaminhar-me para um lugar onde a minha frequência universitária fosse mais do que suficiente para usar o título de Doutora. Ou, fazer-me brotar de um seio tranquilo, desafogado, descendente de várias gerações de Doutores. Podia mas não era a mesma coisa.


(...)
Antão era pastor,
de manta e carapuça;
o açoite do monarca  
ao colectar a comarca,     
fê-lo da Lusa-Atenas doutor, 
doutor de borlas e Murça. 
À viúva alugou a mula ruça!”     

Livro da Marianinha – Aquilino Ribeiro


7 comentários:

  1. Assim que me lembre, os personagens mais relevantes de história nacional (até literária) -- ou não nacional -- não tinham nenhum dê erre antes do nome -- e não isso nunca foi motivo de preocupação...

    Boa noite, Tétisq!

    PS: ninguém fala do Dr. Eça de Queirós, do Dr. Camilo Castelo Branco, do Dr. Fernando Pessoa, do Dr. Luís de Camões, do Dr. António Vieira... que lacuna... :)

    ResponderEliminar
  2. Verdade!
    Lembrei-me do Aquilino e deste excerto porque o colocam numa edição do 'Príncipes De Portugal, Suas Grandezas e Misérias' onde fazem publicar várias cartas e documentos sobre o processo de censura, patrocinado pelos doutores de Coimbra, de que o livro foi alvo.
    Os nossos Reis também não foram Doutores e tivemo-los grandes. Alguns! Alguns foram grandes (Nisto dos Reis e dos doutores não convém generalizar...)...

    Boa Noite, Xilre!

    ResponderEliminar
  3. Pode sempre remediar-se o berço de pinho, porque há sempre uma corporação acolhedora, à nossa espera..:-) Seja ela laica, ou inefavelmente divina que nos pode encaminhar pelos melhores caminhos e prebendas, mesmo sem sermos engenheiros ou doutores. E nos dá, também, muitos irmãos adoptivos. Ou irmãs: por exemplo, a Irmã Lúcia ou a Irmã Maria Belo, consoante a opção.
    Bom Domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou católica mas, sucede que depois de me dedicar a um verdadeiro processo de discernimento me descobri com tanta Fé que me permito ser céptica em relação ao catolicismo e nunca me deu para conventos.
      De qualquer modo acho que as irmandades não podem ser totalmente dissociadas desta coisa dos doutores que se sentem tão irmãos uns dos outros que até partilham as lides domésticas ou que outra razão teriam para andar todos de avental
      Bom domingo!

      Eliminar
  4. até te entendo, mas estou no mesmo barco... rema desse que eu remo deste lado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. qual barco? fazes parte do governo e exibes uma licenciatura que não tens? Manel, isso não se faz!

      (eu estou nos que trabalham desde cedo e do tempo que podem dedicar a estudar fazem um passatempo, cagando para títulos mas maldizendo a falta de oportunidades e o mercado minado de jotinhas e redes de influências, uma corrente contra a qual não me canso de remar)

      Eliminar
    2. credo que até se me esvaiu os sentidos... o mesmo barco que a menina... porra, que insulto, dizer que agora sou do governo... ou dos jotinhas, qualquer dia dizes que uso avental... que ninguém te ouça...

      Eliminar