sexta-feira, 16 de junho de 2017

Um drama, um horror


Acordei dentro de um caixão. O ar esgotou-se rapidamente.

Olhei o espelho e assustei-me. Não tinha reflexo.

Maria acordou com a sensação de que uma massa viscosa e fria a envolvia, percorrendo-a desde os pés, pressionando-a, sentia-se sufocar. Acendeu a luz, percebeu que a massa era real e aumentava a pressão, sufocou.


ps. pediram-me que escrevesse uma história de terror em duas frases, tarefa para a qual a minha dramática falta de jeito é um horror, como se comprova.




9 comentários:

  1. Vou tentar o mote, que é tentador:

    O ar transformou-se, rapidamente, num polvo gelatinoso que me envolveu, por todos os lados, não me deixando respirar. Foi o fim do princípio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pior, só se fosse o inicio do fim :)

      muito bom! deviamos escrever mais por desafio/mote como antigamente, dá mais emoção à arte.

      Eliminar
  2. eu gostei das três ideias e com duas frases não é nada fácil...

    Acordei porque o cheiro do sangue me fez saber que não estava só. Não conseguia mexer-me ou gritar, ouvindo enquanto se aproximava até chegar e quedar-se imóvel tão perto que o sentia respirar...

    ResponderEliminar
  3. Adoro a segunda premissa vampiresca.

    Duas frases de terror quotidiano: Pasito a pasito. Suave suavecito.
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Duas frases com o poder de encaminhar qualquer um ao submundo do terror...
      Muito bom :)

      Eliminar
  4. se te anima, posso dizer que tive medo...

    ResponderEliminar