quarta-feira, 12 de julho de 2017

Antes de bem do que de mal

Diz-se que quando Voltaire estava no leito da morte foi chamado um sacerdote que fez com ele uma oração e o convidou a renegar o Diabo. Convite que Voltaire declinou, disse não ser o momento apropriado para fazer mais um inimigo.

Pascoaes dizia que o ditado popular:Contigo Senhor Diabo antes de bem do que de mal, derivava de uma característica distintiva dos portugueses  que conciliam o culto do divino com o do maléfico. Dizia: Deus e o Demónio são incompatíveis em toda a parte menos em Portugal.


Régio também sabia. Dizia no Cântico Negro :'Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém./ Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;/ Mas eu, que nunca principio nem acabo,/  Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.' 

A nossa identidade deriva tanto do religioso como do pagão e até uma mulher simples, dessas vestidas de preto que povoam as nossas aldeias, compreende. Reza o terço às seis da tarde com a Renascença para, logo depois, se livrar, em água corrente, dos incensos que queimaram com sal grosso antes do pôr do sol a fim de afastar qualquer espírito   que possa rondar mesmo que, o espírito, seja apenas uma costureirinha condenada à errância pós-morte. 




Ermo

Acabou a interrogação retórica


Acabou a interrogação retórica, já quase não se usa, não hã quem a respeite e os mais aborrecidos dividem-se em duas facções: os que culpam o facebook e os que culpam o 25 de Abril. 

Couraça de Lisboa, Coimbra. Julho, 2017

Interrogação retórica:
Estratégia retórica ou figura de estilo que consiste na formulação de uma frase interrogativa, dirigida a um destinatário presente ou ausente, sem que se espere obter resposta. Por outras palavras, tratase de uma frase declarativa ou assertiva disfarçada de pergunta, com o objetivo de, por um lado,  modalizar ou atenuar a afirmação pretendida, e por outro, de tornar discurso mais vivo. (Copiei da Infopédia)