segunda-feira, 16 de outubro de 2017

É fascinação, amor


Fascina-me o lusco-fusco.
Podem achá-lo corriqueiro por ser de frequência diária. Ou aborrecido depois de conhecerem a explicação científica daquele momento, breve, em que  dia e noite se cruzam, se envolvem e trocam de lugar.
Fascina-me. Se tivesse como vê-lo todos os dias, todos os dias me fascinaria. 
A minha vida seria em loop, de fascinação em fascinação.
Porquê?
Não sei, o fascínio não se explica, acontece.

2 comentários: