Então, e o cigano?



Pus-me a pensar nos provérbios portugueses com animais por causa da peregrina ideia da PETA, subscrita pelo PAN, de substituir os animais por plantas ou objectos e fiquei a pensar.
Naquele provérbio que nos diz que devemos estar sempre com um olho no burro e outro no cigano, como é que fica o cigano no meio disto?





Comentários

  1. Respostas
    1. O que para aquelas pessoas não estará mal porque o que conta mesmo são os bichos.

      Eliminar
    2. contam mais do que muita gente
      e pensar que já achei este blog interessante...
      sim, tenho bom remédio, não volto cá

      Eliminar
    3. Credo! Até parece que defendi osvtouros de morte ou assim... o senhor anónimo leu?
      Saiba que se se vai por causa disto e deixando este comentário de forma anónima. Nem sequer cá devia ter vindo.

      Eliminar
    4. vim cá parar acidentalmente
      e comento de forma anónima porque você o permite

      Eliminar
    5. Eu sei que permito comentários anónimos e isso diz muito sobre mim que cultivo com carinho todo o voyeurismo possível sobre a forma de como os outros se comportam socialmente. É-me útil profissionalmente. Nunca o neguei. Mas também diz muito sobre si, infelizmente. Lamento profundamente.
      Quando tiver interesse em de facto trocar ideias, pontos de vista, acrescentar informação, elaborar uma crítica construtiva... sem mascaras estarei aqui com o entusiasmo habitual.
      Entretanto, tive muito gosto em revê-lo apesar da intenção demonstrada de não voltar. Bem haja!

      Eliminar
    6. não lamente. é perda de tempo.
      e aqui todos usamos máscaras, minha cara.

      Eliminar

Enviar um comentário